sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

EM PAZ

Não Canso de
Reparar,
a Beleza da
Natureza.
Ela não se Cansa
de nos Dar,
é Imensa  a sua
Grandeza.
Quando o Homem
Entender,
a Grandeza do
seu Amor.
Nunca mais ele
vai Ser,
Dessa Mãe o
Predador.
Essa Mãe tão
Generosa,
que tanto nos tem
Dado,
Sua Missão é
Milagrosa,
É Tamanho o seu
Cuidado.
Só Falta a nossa
Parte,
a Dela ela já
Faz.
Com todos ela
Reparte,
Temos que Deixa
la em Paz.

Raimundo Sucupira

CANÁRIO DO BREJO

Caro Amigo,Dando Seguimento
ao Projeto em Trazer de Volta os
Inúmeros Pássaros que Foram
Embora Dessas Bandas,que ao
longo dos Tempos tem feito
Tanta Falta,pois o seu Canto
Era um Grande Motivo de
Alegria.
Falar-vos Ei,de um que não é
tão Conhecido,Mas que é um
Pássaro Fantástico Também,
Trata-se do Canário do Brejo,
Parecido com o Canário da
Terra,porem,o seu Canto é um
Pouco Diferente.
O Canário do Brejo gosta mais
dos Alagadiços,Vivem em
Bandos,Quando Voam,vê-se
Centenas Deles,o seu Canto
Também é Belo.
Quando Começa a Cantar,é
Capaz de ficar Durante
Minutos Cantando sem Parar,
Canta muito Alto,Assim como
os que já Sitei,Também
Encontra-se Sumido,nunca
mais vi ou Ouvi um Pássaro
desse por Essas Bandas,Estes
Sumiram-se Todos.
O por que desse Sumiço,não
chega a ser Nenhuma
Surpresa,ou seja,não é Difícil
Adivinhar os Motivos,a Ação
do Homem.
O Desmatamento,a Caça
Predatória,o Envenenamento
das Mangas pelos Donos das
Terras,em fim,Todos esses
Fatores vem Contribuindo
para o Sumiço desses
Pássaros,o que nos Causa uma
Enorme Tristeza.
Por ser um Sertanejo,um
Ambientalista,um Cidadão
que Sempre Respeitou a
Natureza,Abracei esse Projeto
em Trazer de volta Esses
Antigos Moradores e Cantores
do Sertão.
Não é um Projeto Difícil,muito
menos Caro,Basta Respeito,
Preservar,fazer o Minimo pela
Natureza,Quem não Quer fazer
nada,Basta Deixar de
Agredi-la,Ela é tão
Sabia,que por si só,se
Recompões.
Aqueles que tiver um Terreno
Degradado,Deixe o Quieto,
que com o Passar dos Tempos
vai voltar tudo ao Normal,não
Passar Veneno nas Mangas,não
Cassar,ao fazer isso,já Estará
fazendo Muito.
De modo que,como
Ambientalista,vos faço um
Apelo,Este é o Momento
Propício,é Chagada a Hora de
Fazer Algo por essa Mãe que
tanto tem nos Dado sem nos
Pedir nada em Troca,tá na
hora de Retribuir.
Ademais,ao fazer isso Alem
de Trazer de volta a Alegria
que Estava um pouco Distante,
Também Estará Preparando o
Futuro da Nova Geração,Leem
isso Antes de Omitir sé.....

Raimundo Sucupira

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

SECA

Meado do Més de
Novembro,
Nada de Chuva.
Já Esta Chegando
Dezembro,
o Horizonte que
Turva.
Esta Seca
Medonha,
Que a Todos
Assombra.
O Sertanejo que
Sonha,
para sair da
Sombra.
Mais um Ano a
Natureza,
Seca feito
Pinha.
Mais um Anos
de Incerteza,
a Sequidão se
Avizinha.
Só nos Resta é
Rezar,
Chamar pelo Pai.
Ele vai nos
Amparar,
Quem Encosta
nele não Cai.

Raimundo Sucupira

A ÉGUA CORREU COM A SELA

Caro Amigo,Em meio a
essa Loucura Deste
Mundo Moderno,Erga-
se um Saudosista que
Teima em Relembrar os
Velhos Tempos,as Belas
Historias que Aconteceu
no Passado.
Percorrendo com tão
Grande Rapidez as
Inúmeras Historias,
Vivendo Solidariamente
todas elas,Tendo a Sorte
de sair da Aventura sem
Nenhum Inconveniente,
Consagra a Lembrança
de tão Agradável
Aventura.
É o Bastante para vos
fazer ver de que modo
as Pessoas Viveram
Tempos Atrás,e Vedes
que Hoje em dia a
Historia é Bem Diferente,
as Pessoas Quase não
tem Tempo.
O Homem Vive de tal
Modo que,Nele Causam
muito mais Impressão as
Ficções do que a Verdade.
Dia desse Lembrei-me de
uma Historia que meu
Avô nos Contava,o dia
que a Égua Correu com
a Sela.
Coronel Rufino foi fazer
uma Visita ao Grande
Amigo Coronel Militão,
ao chegar à Casa Grande,
Amarrou a Égua sobre a
Sombra do Pé de
Juazeiro.
Perto dali Estava a Brincar
o Peralta, João Luiz e o
Zequinha Filho da
Mucama da Casa.
Ao ver a Égua Amarrada
à Sombra,o Peralta de
Posse de uma Vara de
Catinga de Porco,foi por
trás da Cerca e deu lhes
um Cutucão.
Ao Receber o tal Cutucão
a Égua deu um Pulo
Quebrando o Sedem,foi
uma Carreira só.
A Égua saiu Correndo e
Pulando,a Sela foi parar
em Baixo do Vazio,
Rasgando toda ao pegar
nos Tocos,o Coronel
Gritava minha sela de
Estimação!Acuda Negada!
foi uma Confusão dos
Diabos.
Corre dali,Corre da cola,
Grita dali,Grita dacolá,foi
Grande a Correria para
Pegar a Égua.
O Peralta Escondeu-se
sobre o Paiol,de la gritou,
não foi Eu!há essas alturas
o Zequinha por não ter
Corrido já Estava com o
Coro Quente devido a
Sova que tinha levado.O
Coitado Apanhou por
Algo que não tinha feito,
ou seja,o Justo pagou
pelo Pecador,Nesse Caso,
o Zequinha.
Dado que,ao ver uma
Criança a Praticar Arte,não
é de se Espantar,pois isso
Acontece desde os Velhos
Tempos,as Crianças são as
mesmas,não mudam
jamais,podem mudar os
Tempos,as Crianças, essas
Continuam as mesmas....

Raimundo Sucupira

sábado, 30 de novembro de 2019

LUAR DO SERTÃO

O Luar do meu
Sertão,
é Diferente do
da Cidade.
Aqui vê se o
Clarão,
Tudo com mais
Intensidade.
O Brilho da
Cidade,
Ofusca o Luar.
Por Conta da
Claridade,
e a Poluição do
Ar.
No Sertão é
Diferente,
é tudo Bem
Natural.
Sé vê tudo
Plenamente,
não tem coisa
Igual.
A Natureza é
Generosa,
nos dar sem
Cobrar.
Que Coisa tão
Maravilhosa,
não paro de
Contemplar.

Raimundo Sucupira

COLEIRA

Caro Amigo,Como Sertanejo,
Ambientalista,não Acostumo
com essa Ideia em Viver Sem
Ouvir o Canto dos Pássaros,só
Em Pensar nisso nos dar uma
Tristeza Danada.
Desde Criança nessa Minha
Amada Terra,Donde Nasci,
Acostumei-me aos Cantos
dos Pássaros,um Deles Era o
do Pássaro Coleira,Trata-se
de um Pássaro que Canta
Muito.
O Pássaro Coleira é Pequeno,
porem,parecido com o Papa
Capim e o Bigode,Preto,
Peito Branco,uma Listra
Perto do Bico,mais Parece
uma Gravata Borboleta,Ele
é Muito Bonito.
O Seu Canto é Belíssimo,ao
Cantar chega Arrupiar se,Ele
fica por Vários Minutos
Cantando sem Parar.
Também faz o seu Ninho nas
Plantas dos Jardins.
Tinha Muitos por Essas
Bandas,com o Passar dos
Tempos foram Sumindo,não
é Difícil Saber o por Que,
tudo isso é Por Conta do
Desmatamento,do Uso do
Veneno,da Caça Predatória,
em fim,à Ação Danosa do
Homem.
Como Sertanejo,
Ambientalista,Saudosista
Dessa Cantoria,vi que já
Estava na Hora de Fazer
Algo para Amenizar Essa
Situação,por isso Abracei
esse Projeto em Lutar para
Trazer de Volta Esses
Ilustres Cantores do Sertão.
Por isso Digo aos que
Querem fazer Algo pela
Natureza,Abrace essa
Luta,Vamos Preservar o
que Inda Resta,aos que não
Quiser Entrar,só em Parar
de Agredir a Natureza,já
Estará Fazendo Muito,pois
Ela é tão Sábia,que por si
só se Recompões.
De modo que,ao Trazer de
volta Esses Pássaros,o
Amigo Estará Trazendo de
Volta Também não só o
Seu Canto,Mas a Alegria
que há Muito tem nos
Faltado nesse Mundo
Moderno,Cheio de dessa
Coisa que Chamamos de
Tecnologia,que é nada mais
que a Solidão em Forma de
Maquina que Veio para nos
Assombrar.....

Raimundo Sucupira

terça-feira, 26 de novembro de 2019

O BEM E O MAL

O Mal é Cheio de
Encantos,
O Bem é ao
Contrário.
É Solicito com
os Pensamentos,
com os que Sofre
é Solidário.
Essa Enorme
Diferença,
não é Difícil de
Notar.
É como uma
Sentença,
é só Saber
Aplicar.
Aonde o Mal
Comanda,
Tudo é Sombrio.
Tudo Desanda,
Sempre Perde o
seu Brio.
O Bem é Muito
Deferente,
é claro feito
Neve.
Em cada
Semblante,
O Sorriso fica
Leve.

Raimundo Sucupira
 
Contador de Visitas Para Blogs