quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

VISITA AO PRESÉPIO

Os Trilheiros Raimundo Sucupira e Bill saíram para fazer uma visita aos presépios da cidade, tradição que há muitos anos as famílias preservam, fomos á casa de Elaine, Nenzinha e Zoraide. Os Presépios são verdadeiras obras de arte, se encontra no meio da varanda. Ao ver me faz lembrar o tempo de criança onde passava o dia inteiro visitando os presépios de todas as casas. Pena, que essa tradição está cada vez mais rara, com o passar do tempo as pessoas vão esquecendo os valores mais simples, como a arte de armar presépio. É necessário fazermos o resgate dessa tradição que traz o Espírito de NATAL para o nosso lar...

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

TRILHEIROS NO FRAGA

Os Trilheiros do Cafundó fez uma visita á cachoeira do

veu de noiva em LIVRAMENTO, beleza rara que a natureza nos

Deu, porém muitas vezes esbarra na ganância de um

Certo animal chamado homem.

Que atravanca o curso natural das coisas, eis o homem

Terrível, implacável, saqueando e negociando como se

Fossem miçangas cintilantes.

Diante de tanta devastação vos pergunto até quando?

Quem sois vós travestidos de super-homem,que tudo

quer e tudo pode, abram vossos olhos, pois não

Passa de pobres mortais que amanhã para o pó voltarás...

Por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

CAFÉ COM BOLO

são seis horas da
manhã,
a nevoa repousa
sobre a serra.
no carrasco o
acauã,
adivinha chuva
na terra.
o cheiro de café
fresquinho,
feito no fogão
a lenha.
acompanhado
por bolinho,
feito por dona
penha.
uma caminhada
no lago,
tudo pelo o bem
da saúde.
evitando um
estrago,
essa é uma boa
atitude.
essa é a vida que
levo,
em minha amada
Paramirim.
tudo mais eu
relevo,
não quero mais
nada pra mim.

por Raimundo Sucupira

CAFÉ COM BOLO

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

SIMBOLO DO SERTÃO

Pra quem acha que o mandacaru só tem espinho, eis á verdade,

Um pé de mandacaru coberto de flores em pleno sertão.

Essa é só uma das muitas surpresas que o amigo vai encontrar

Nessa linda terra tão bem amparada pelo divino criador, é por isso

Que não deixo essa terra por nada desse mundo.

Aqui você tem a sensação que está mais perto do céu, confesso que

Em nenhum outro lugar do mundo você vai sentir o mesmo.

Quando estou caminhando por essas colinas nem vejo o tempo

Passar, sinto-me mais pertinho de DEUS.

Eta sertão porreta.........


quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

MENINO JESUS

num certo dia nasceu
um menino,
numa humilde
mangedora.
não tinha nada de
fino,
era muito simples sua
genitora.
uma pequena luz o
acompanhava,
saudando a chegada
do Redentor.
os magos o adimirava,
com muita fé e muito
amor.
o mundo estava
recebendo,
a mais alta divindade.
num momento de
referendo,
veio nos trazer a
liberdade.
esse menino essa
luz,
que ilumina nossa
vida.
salve o menino Jesus,
salve sua mãe querida.


por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

SOLIDÃO DE ESPIRITO

o homem é tão
pequeno,
diante dessa
grandeza.
com chuva ou
sereno,
é bela a natureza.
essa beleza tem
o dedo,
do Divino criador.
não é nenhum
segredo,
para um bom
entendedor.
não é dado o
direito,
á ninguem lhes
causar danos.
tudo nela é
perfeito,
não podemos
mudar os planos.
este animal tem
que entender,
tudo que foi
escrito.
sozinho nós vamos
morrer,
de uma grande
solidão de espirito.


por Raimundo Sucupira

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O TEATRO NA PRAÇA

O grupo de teatro Cena em Palco, com a obrigação de defender a igualdade racial, defendendo assim a história do negro, pois a história não é uma mera coincidência, ela é a conseqüência do sonho do homem.

Sem o homem não há sonho, sem o sonho não há história, por isso o grupo de teatro Cena em Palco vem pra rua defender a raça negra e sua história, pois apesar das diferenças de cor, raça, cultura, religião, padrão social, nosso DEUS é o mesmo DEUS, é para ele que caminhamos e ninguém pode evitar esse nosso destino fatal.......

Por: Raimundo Sucupira

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

TEMPO E DINHEIRO

esses loucos acham
que é certo,
causar tamanha
devastação.
quero vê quando o
deserto,
tomar conta do
sertão.
quero vê quando o
dinheiro,
que ganha com a
madeira.
para seu filho
derradeiro,
não comprar uma
mamadeira.
quando tudo isso
acontecer,
não adianta
lamentar.
só lhes resta é
morrer,
seu destino é definhar.
ainda é tempo de
mudar,
e buscar outra
saida.
á floresta replantar,
salvando a nossa
vida.


por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

CHUVA AO MEIO DIA

é muito gostoso
apreciar,
uma chuva ao
meio dia.
seu frescor
saborear,
vê a natureza
em sintonia.
o cheiro das flores
campestre,
perfumado pelo
ar.
adocicado como
mel silvestre,
trazendo paz ao
meu lar.
essas são algumas
qualidades,
que pouca gente
presta atenção.
principalmente nas
grandes cidades,
com essa poluição.
o homem tem que
entender,
os desígnios da
natureza.
sem ela nós vamos
morrer,
nós já temos essa
certeza.


por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

ASSUNTO DELICADO

quando se trata
de cultura,
temos que ter
cuidado.
entra em cena
a lisura,
o assunto é
delicado.
trata-se do
rumo,
que um homem
deve tomar.
a cultura é um
prumo,
onde se pode
abalizar.
o saber é uma
luz,
que ilumina o
cidadão.
ela sempre lhe
conduz,
com clareza e
retidão.
uma nação bem
instruída,
não depende de
ninguem.
sua riqueza é bem
distribuída,
todo mundo vive
bem.



por Raimundo Sucupira

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Toda vez que escalo a serra do catuaba sinto uma emoção diferente, sou tomado por uma energia muito especial, sendo eu, descendente de tapuios, índios que viveram aqui nesta serra, talvez seja por isso que sinto tão bem nesse lugar, a verdade é que aqui me sinto em casa quando estou ao pé dessa montanha linda não tenho vontade de voltar mais á civilização, o coração me diz que aqui é meu lugar, essa paz, esse silêncio, quebrado apenas pela linda melodia dos pássaros que cantam sem medo de ser feliz, pra minha tristeza tenho que voltar á triste e melancólica vida da cidade....

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Mangangas

debruçado sobre
o alpendre,
vejo a farra dos
mangangás.
outro evento me
surpreende,
um enxame de
arapuás.
todos em busca
das flores,
e do seu doce
sabor.
são centena de
cores,
visitada com amor.
essa disputa é
saudável,
nós temos essa
certeza.
é um trabalho
formidável,
pelo o bem da
natureza.
todos os animais
trabalha,
para o bem da
espécie.
só o homem que
atrapalha,
das lições esquece.


por Raimundo Sucupira

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

A COR E A DOR

o divino lhes deu,
a cor.
o castigo seu,
a dor.
de sua aldeia saiu,
arrastado.
muita saudade
sentiu,
escravizado.
esse povo já sofreu,
de mais.
as maldades de seus,
chacais.
a luta pela vida,
valeu.
quem não teve
saida,
morreu.
a lemnrança do povo,
ficou.
os caminho para o
novo,
traçou.
A bravura do homem,
tem.
a conquista de um
nome,
vem.
a revolta de Zumbi,
deu certo.
ele viveu por aqui,
tão perto.
uma nação sem
regra,
é cativa.
viva a consciência
negra,
viva.


por Raimundo Sucupira

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

REGRAS PARA O BOM VIVER

cabe ao homem
moderno,
mais um pouco
de atenção.
foi o própio pai
eterno,
que nos deu essa
lição.
quem domina o
saber,
não pode mandar
em tudo.
a regra do bom
viver,
vale para todo
mundo.
os humildes que
sempre tem,
no ceu um bom
lugar.
quem não possui
nenhum vintém,
das alegrias vai
desfrutar.
o Galileu deixou
bem claro,
para que todos
possa entender.
não é preciso ter
preparo,
para o seu nome
bem dezer.


por Raimundo Sucupira

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Em pleno sertão a beleza mostra sua cara


À sombra de um ipê roxo sinto-me no dever de
Fazer mais um apelo.
Vamos preservar a natureza antes que seja tarde
Pense muito antes de cortar uma árvore ou colocar
Fogo na floresta.
Pois tudo de acontece à natureza logo acontecerá
Ao homem tudo está relacionado entre si.
O homem e a natureza dependem um do outro para
Sobreviver...

O sertão em um momento de rara beleza

Ao pé de um flamboyant fico a pensar!
Há muito tempo estou bradando, às vezes
Tenho a ligeira impressão que meu brando
Está se perdendo no tempo e no espaço
Sem ninguém ouvir muito menos responder.
Ainda é tempo de mudar e preservar o que
Ainda nos resta antes que seja tarde demais.
O homem e a natureza estão relacionados entre
Si como um fio, não foi o homem que teceu a
Trama da natureza, ele é meramente um fio da mesma.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O BRASIL É DE TODOS

pra quem não gosta
do nordestino,
aqui vai o meu
recado.
é triste seu destino,
seu fim é isolado.
o nordestino é
maioria,
o sulista querendo
ou não.
é bom acabar com
essa hipocresia,
para o bem da
nação.
no Brasil não tem
lugar,
pra esse tipo de
preconceito.
é bom os sulistas
se tocar,
e acabar com esse
preceito.
todos nós somos
iguais,
não pode ser
diferente.
homofobia nunca
mais,
viva a nossa pátria
livremente.



por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

OPERÁRIO

não pense que um
iletrado,
não possa saber
de nada.
quese sempre é o
ilibrado,
que resolve a
parada.
não é preciso ser
um literário,
para os problemas
resolver.
basta olhar para o
operário,
que você vai logo
entender.
não se trata de
sabedoria,
mas de competência.
um nordestino de
grande valia,
fez do Brasil uma
potencia.
essa é uma grande
verdade,
que todos temos que
dizer.
a tão sonhada
prosperidade,
em nossa porta veio
bater.


por Raimundo Sucupira

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Na manhã do dia 24 de outubro de 2010, o Grupo Os Trilheiros do Cafundó foi convidado por Almir para participar de uma caminhada, esta seria até o cume da serra onde ele colocou um Cruzeiro. Na ocasião inaugurou-se um pedestal de concreto que em seu topo foi parafusado uma placa com uma mensagem, no mesmo local que Helton Igor havia sido fotografado em tempo passado. Almir presenteou a cada um dos treze visitantes com a foto que citamos. Rezamos um Pai Nosso e uma Ave Maria e catamos parabéns para Igor, que se estivesse vivo teria completado 25 anos do dia 23 de outubro.
Participantes: Tulinha, Sucupira, Almir, George (Vereador), Tõe de Melé, Deinho, Sun, Luiz Carlos Bill, Matosa, Thiago, Juarez, Renatão, Berlando e Dias.
Frase: “Meus pés pisaram este chão e deixaram as pegadas da minha saudade, hoje presente na pureza deste ar e na leveza desta paz absoluta que faz de Paramirim meu pequeno paraíso aqui na terra. Helton Igor. In Memorian”.

Assista ao Vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=Gypk9GFyY7g

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

LAMBANÇA

agoniza a consciencia
dos paulistanos,
o palhaço tiririca que
o diga.
depois falam mal dos
baianos,
pensando que o povo
não liga.
essa piada de mal
gosto,
foi muito dificil
digerir.
jogaram a cidadania
no esgoto,
com essa lambança
resta-me rir.
estão manchando
a liberdade,
com esse terrivel
engano.
logo na maior cidade,
a cidadania entra
pelo cano.
como poderá ser
cobrado,
compromisso de quem
não tem.
esse cidadão não é
culpado,
da irresponsabilidade
de ninguem.


por Raimundo Sucupira

terça-feira, 19 de outubro de 2010

AO POVO DA CIDADE

cabe ao povo da
cidade,
a defesa do
sertão.
sem ele a tal da
modernidade,
corre o risco de
extinção.
a devastação é
muito grande,
por esse sertão
á fora.
é preciso que o
moço mande,
essa ajuda sem
demora.
em nome do tal
progresso,
muita gente tem
desmatado.
isso é mais um
retrocesso,
que este poeta
tem notado.
o homem tem que
viver,
de acordo com a
mãe natureza.
que futuro nós
vamos ter,
com essa vida de
malvadeza.


por Raimundo Sucupira

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

CAMISA DE CHITA

lembro-me a camisa
de chita,
que usava na
novena.
era a mais bonita,
de tanto usar ficou
pequena.
era tamanha a
alegria,
sem contar com
a fé.
Rezava pra virgem
Maria,
para manter-me de
pé.
até hoje carrego
comigo,
a minha devoção.
a virgem Maria é
meu abrigo,
mora em meu
coração.
minha santinha
querida,
fiel companheira.
vai comigo nessa
vida,
até a hora derradeira.


por Raimundo Sucupira

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Ao pé do Ipê Roxo, o poeta contempla a beleza dessa árvore, que ainda resiste ao ataque sem piedade dos devastadores; suas flores mostram todo o seu encanto, sem a preocupação com o perigo que estar por vir, isto é, com o homem munido de machado afiado pronto para deferir o ataque fatal.
Esse poeta apela para o bom senso dos homens, a natureza precisa ser preservada, sem ela, todos nós iremos morrer, fruto de uma grande solidão de espírito, como moribundos em agonia.
Gameleira, árvore que também se encontra em ameaça de extinção, é uma pena que as pessoas ainda não perceberam a importância que essas árvores têm para a vida na terra, é preciso que todos se juntem em defesa da natureza, em defesa da própria vida.
O engenho de pau que já foi o maior empreendimento no sertão, hoje se encontra em decadência, abandonado ao relento, entregue aos cupins, vejo com tristeza que nossa história está se acabando e ninguém faz nada, o que nós vamos mostrar para os folhos de nossos filhos quando fomos indagados?

SERTÃO DO MEU CORAÇÃO

a chuva que está
chegando,
pra alegrar essa
terra.
a gramaia está
acordando,
á começar pela
serra.
aquele cenario
triste,
já começa mudar.
como o sertão não
existe,
é único esse lugar.
este sertão é porreta,
de tudo se vê por
aqui.
da boa pimenta
malagueta,
até o famoso pequi.
essa terra tão
brilhante,
encanta qualquer
cidadão.
fizeste de mim seu
amante,
conquistaste meu
coração.


por Raimundo Sucupira

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

UM OU OUTRO

o coração de quem
ama,
segue um ritimo
diferente.
como uma chama,
que vai queimando
lentamente.
quando a paixão
entra em cena,
a coisa modifica.
o que era grande
apequena,
a loucura intensifica.
é muito dificil
explicar,
as coisas do coração.
é melhor não
acompanhar,
o vendaval da tal
paixão.
quando isso
acontece.
o coração é detonado.
essa dor ninguem
esquece,
nunca mais quer ser
amado.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

MANIFESTO

o homem não pode
tratar a natureza,
ao seu bel prazer.
é por demais essa
grandeza,
Deus não nos deu
esse poder.
a natureza é muito
grande,
para um homem
tão pequeno.
que os devastadores
não mande,
para nós esse
veneno.
este planeta tem
que ser,
pelo o homem bem
tratado.
é nele que vai
viver,
até o dia que for
chamado.
espero que o povo
leia,
esse humilde
manifesto.
o perigo nos rodeia,
é melhor ficar esperto.


por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

VALETA

tudo que vos tenho
dito,
é a mais pura
verdade.
esse dinheiro
maldito,
não traz felicidade.
a tal da droga mata
tudo,
basta que alguem
lhe apresente.
não importa se
é graúdo,
ou pobre carente.
de ninguem ela
tem pena,
está pronta para
puxar o nó.
nem mesmo de
gente pequena,
essa maldita tem dó.
essa guerra vale
a vida,
minha arma é a
caneta.
vamos encontrar
uma saida,
para sairmos dessa
valeta.


por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

EMBIRA

chora a mais triste
aroeira,
nesse vale sem
vida.
nem mesmo o pau
pereira,
encontrou outra
saida.
até mesmo o velho
juazeiro,
viveu esse dilema.
não se livrou do
carvoeiro,
deu adeus pra sua
jurema.
a vistosa moita de
mancambira,
que protegia o
umbuzeiro.
virou corda de
embira,
pra amarrar pau de
poleiro.
o mato que antes
era fechado,
veio o homem e
abriu.
virando tudo roçado,
a beleza sucumbiu.


por Raimundo Sucupira

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

PARAMIRIM EM FESTA

vejo que são muitos os
brasileirinhos,
desfilando pela as ruas
da cidade.
trilhando por caminhos,
rumo á prosperidade.
paramirim está em
festa,
mais um ano de vida.
sua histori ningeum
contesta,
salve minha terra
querida.
paramirim de tanta
historia,
engrandecendo meu
pais.
não saiste da memoria,
es a terra que sempre
quis.
devoto á ti o mais
puro amor,
terra do meu bem
querer.
na alegria ou na dor,
em seus braços quero
viver.


por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

BOCA DE LOBO

a poderosa rede
Globo,
é muito dificil
digerir.
é como uma boca
de lobo,
pronta pra nos
engolir.
ela entra em
nosso lar,
sem ser convidada.
se o cidadão
vocilar,
sua vida está
findada.
ela morde depois
assopra,
pra tudo tem um
jeitinho.
faz de tudo mais
dobra,
quem cruza seu
caminho.
desde o tempo da
ditadura,
ela vive na encolha.
enquanto o povo
na amargura,
vivendo apertado
feito rolha

por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O POETA E A MAQUINA

tornou-se constante
a batalha,
deste poeta contra a
maquina.
de vez em quando
se atrapalha,
a danada é traquina.
depois do tal do
computador,
não se usa mais a
caneta.
a velha maquina se
aposentou.
está mofando na
gaveta.
carta é coisa do
passado,
a moda agora é
email.
quem não for
conectado,
vai sair do nosso
meio.
é a hera digital,
que veio pra ficar.
o momento é crucial,
temos que modernizar.


por Raimundo Sucupira

terça-feira, 31 de agosto de 2010

O menino nasce no Sertão, com a chegada do tal progresso vai se embora não lembra mais de sua terra, constitui uma família e seus filhos e netos desconhecem os valores do Sertão, não sabe o que é um carro de bois, um engenho, uma rapadura, um batido, um canto de galo quebrando o silêncio da meia-noite, não conhece a grandeza deste povo que carrega consigo a fé no divino Criador e a esperança de um Sertão tratado com o respeito que lhe é devido.



segunda-feira, 30 de agosto de 2010

SONHO FLORIDO

deu-se ao poeta
nessa hora,
mais um pouco
de emoção.
estou sonhando
agora,
com o verde que
cobre o chão.
o campo fica
florido,
seu perfume pelo
ar.
os passaros
reunido,
no arvoredo á
cantar.
meu sertão fica
alegre,
com essa gota
milagrosa.
é mais um belo
milagre,
com essa chuva
maravilhosa.
o sertão é mesmo
assim,
de tudo se planta.
ele é tudo para
mim,
quem vive aqui
logo se encanta.

por Raimundo Sucupira

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O Poeta e o Mulungu

O poeta contempla a beleza das flores laranja do belo e grande Mulungu, esta é mais uma árvore na imensa lista que se encontra ameaçada no Sertão, por conta do desmatamento, das queimadas, das cerâmicas e das carvoarias.
O poeta olha e se enche de alegria ao deparar com uma cena assim, o poeta olha e se enche de lágrimas ao ver nossas matas sendo sumariamente devastada pelas mãos dos que deveriam preservar.
COM A PALAVRA O GRANDE E PODEROSO ANIMAL CHAMADO POVO.........

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O POBRE E O VOTO

agora na epoca das
eleições,
o pobre fica muito
impoetante.
vai se embora as
divisões,
quem é fraco vira
gigante.
quem sumiu por
quatro anos,
nessa epoca
aparece.
assume qualquer
onus,
ateu para Deus
faz prece.
todos viram
santinho,
para conquistar
o eleitor.
depois sai de
fininho,
dando banana pra
quem votou.
o povo tem que
escilher,
quem anda com
retidão.
para depois não
padecer,
diante da corrupção.

por Raimundo Sucupira

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

TRINTA E POUCOS ANOS

as criticas que á mim
fizeste,
não tem nenhum
fundamento.
minha historia não
relataste,
muito menos meu
sentimento.
trinta e dois anos de
luta,
na defesa do meu
sertão.
não falhei em uma
disputa,
lutei com garra e
devoção.
nem mesmo a
ditadura,
calou a minha voz.
vivi muito tempo
na dipindura,
lutando contra um
regime algoz.
depois da batalha
vencida,
tem muita gente
dando ordem.
gente desconhecida,
que só vem causar
desordem.

por Raimundo Sucupira
 
Contador de Visitas Para Blogs